Siga meu blog por e-mail!

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Como o problema da origem da vida é uma evidência ENORME para a existência de Deus

Um grande problema que cientistas naturalistas (naturalista é aquele que apenas acredita no que é natural, sem nada sobrenatural no meio) enfrentam é explicar a origem da vida de uma forma puramente naturalista, sem ter de cogitar a possibilidade de um criador por trás de toda a vida, como uma divindade, por exemplo. Então, até hoje, NÃO há nenhum modelo válido para a origem da vida e todas as tentativas de simular a origem da primeira vida foram um FRACASSO. Um exemplo bastante notável foi o experimento Miller-Urey, que só simulou pequenas etapas de todo o processo e não chegou a nada conclusivo (https://pt.wikipedia.org/wiki/Experi%C3%AAncia_de_Miller_e_Urey).

Enfim, a "receita da vida" até agora não foi descoberta por ninguém ainda. A receita seria uma combinação de elementos químicos (os quais todos os seres vivos e inanimados possuem) e as condições ambientais (temperatura, pressão, etc.) que favorecem o processo a acontecer. Até aqui, tudo bem científico, certo? Então, se eu dissesse que, em cima deste problema, eu tenho um argumento que evidencia ("evidência" não é o mesmo que "prova", antes que você pergunte) a existência de Deus como ESSENCIAL para que este caso faça sentido? Pois eu digo e tenho. O argumento será exposto logo abaixo:

Face ao dilema de não termos conhecimento da receita da vida, temos 4 opções que podem ser verdadeiras para isso:

1) A receita da vida NÃO EXISTE;
2) A receita da vida EXISTE, mas não é possível de ser descoberta pelos homens;
3) A receita da vida EXISTE, é possível de ser descoberta pelos homens, mas é impossível de ser REPRODUZIDA;
4) A receita da vida EXISTE, é possível de ser descoberta pelos homens e é POSSÍVEL de ser REPRODUZIDA pelos homens um dia.

Com as informações que temos atualmente, não creio que seja possível determinarmos qual das 4 opções é a verdadeira. Então, iremos escolher uma de cada vez e ver aonde chegamos, certo?

Começaremos pela opção 4, que é a mais otimista para os cientistas naturalistas. Aqui, a receita existe, pode ser descoberta e pode ser reproduzida pelos humanos. Então, neste caso, teremos, um dia, uma equipe de cientistas que irá finalmente criar uma vida em laboratório, PROVANDO que a receita da vida é real e pode ser reproduzida. Grande descoberta para a Ciência! Sendo este o caso, o que foi provado aqui? Que a vida surgiu NATURALMENTE (ou espontaneamente, como preferir)? NÃO! A única coisa provada aqui é que, conhecendo a tal receita, vc pode "cozinhar" ela ao você mesmo criar todas as condições para que ela seja cozinhada. No caso, a equipe de cientistas que "cozinhou" a receita. Em outras palavras, esta opção NÃO ajuda a provar origem naturalista do homem, pois apenas provou que a vida pode ser gerada quando alguém cria as devidas condições para isso. Os cientistas precisariam provar que isto tudo teria ocorrido SEM NENHUMA interferência humana, o que julgo impossível. Ou seja, qual é a conclusão que chegamos com isto? Concluímos que um ser, o qual denominaremos de O Grande Cientista, criou a primeira vida no passado. Este Grande Cientista não pode ser nenhum ser vivo da atualidade, pois Ele ainda não havia criado nada ainda, então Ele é o primeiro ser vivo existente. E, como Ele gerou as primeiras vidas, Ele deve ter existido desde o princípio, se tornando um ser anterior a toda a existência, afinal, não acabamos de mostrar que seres MAIS SIMPLES do que este ser não podem ser gerados naturalmente? Muito menos este ser poderia ter sido gerado espontaneamente. Então, a conclusão óbvia é que este ser sempre existiu desde os primórdios do Universo e o ser que mais se aproxima da identidade deste ser é ninguém menos do que... Deus!

Então, o que acontece se a opção 3 for a verdadeira, então? Temos uma receita que existe, mas os homens não conseguem reproduzi-la, o que de novo nos remete ao mesmo Grande Cientista de antes, com o bônus de que Ele é o único capaz de gerar a vida, que normais humanos não são capazes. E se a opção 2 é a verdadeira, a receita será sempre desconhecida e só este mesmo Grande Cientista detém este conhecimento cabal.

Por último, temos a opção 1, que é a mais espetacular de todas. Se a receita simplesmente NÃO EXISTE, então temos, como origem da vida, além do Grande Cientista, temos também Ele como sendo O Grande Criador, capaz de criar vida sem ingredientes (afinal não tem receita). Ou seja, criar a vida DO NADA!

Enfim, o que podemos concluir? O problema da origem da vida tem em torno de quatro opções possíveis e em TODAS AS QUATRO podemos inferir Deus como cientista e criador nelas. Se não for mostrada nenhuma outra opção além destas quatro, temos uma clara TAUTOLOGIA, que é quando, não importa os valores de uma sentença, o resultado é sempre verdadeiro. Ou seja, não importa a opção que é a correta, Deus é VERDADEIRO em todas elas! E este ser aparece aqui, pelo menos, com as seguintes características:

1) Extremamente inteligente: é o primeiro e/ou o único capaz de gerar uma vida, seja a partir do nada ou a partir de outros elementos e não adquiriu este conhecimento de ninguém;
2) Extremamente poderoso: capaz de coexistir desde os primórdios do universo e, possivelmente, tenha criado a vida do nada;
3) Pessoal: ele se prontificou a gerar vidas além Dele mesmo, mesmo sem precisar fazer isso;
4) Eterno: existe desde os primórdios. Aliás, existir nem é o termos mais correto, Ele simplesmente É;

E fechando com chave de ouro, estas características, mais uma vez, só se enquadram no único Deus verdadeiro descrito na Bíblia.

2 comentários:

Furankilin Nilknarf disse...

O que eu observei ,foi que você criou esse questionamento visando a conclusão de que Deus realmente existe.Pelo simples motivo de,se a suposta "receita da vida" existe ou não,ela claramente foi criada por um ser inteligente,mas você simplesmente supôs isso,se não há como saber se a "receita da vida" pode ou não existir naturalmente(por que seria um ser inteligente que a criou?),muito menos se não há como reproduzi-la,isso também não certificado de que não há outra forma dela ser criada,além de "um ser inteligente".

Walter Luís de Azevedo Sabino disse...

Claro que eu fiz este argumento pra provar Deus. Entretanto, cuidado pra não cometer a falácia genética de julgar meu argumento baseado em sua origem. Não é porque meus argumentos se originaram da intenção de provar a existência de Deus que eles são inválidos: todo buscador da verdade tem suas segundas intenções aos pesquisar algo. O que vale é ele ser HONESTO de ir realmente aonde os argumentos e evidências o levam, e não somente provar seu ponto de qualquer maneira.

Dito isto, você comentou que poderia existir outras formas desta receita da vida existir, mas isso vc carece de argumentar a respeito. Porque eu creio que, de um jeito simples, que eu cobri todas as possibilidades básicas. Vc acha que poderia ter sido um outro ser sem ser inteligente ou que o acaso poderia ter feito? Improvável e provavelmente impossível, como eu evidenciei no texto. Cientistas, com décadas de pesquisa e muito conhecimento, se arrastam na tentativa de decifrar isto, sem muito sucesso. Eu não vou entrar em detalhes aqui, pois meu texto é suficiente pra explicar meu ponto. Se vc tem objeções, ótimo, mostre-as. Mas mostre mesmo, porque o que vc fez foi só questionar algo que eu já expliquei no meu texto, que é o fato de que não tem como ser de outra forma, senão através de um ser MUITO inteligente.