Siga meu blog por e-mail!

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Passaremos a eternidade apenas cantando???

Uma coisa que é muito falada em muitos lugares (incluindo minha igreja) acerca da nossa eternidade com Cristo é que nós seremos um grande coral, cantando eternamente para Cristo. Muitos alegam que, uma vez que uma de nossas principais funções, a evangelização, não será mais necessária, pois tudo estará cumprido (incluindo o plano de salvação) e não haverá mais necessidade de pregações, então o que nos restará fazer é louvar... Louvar o tempo todo...

Antes de mais nada, não me levem a mal. Eu canto em um coral da minha igreja e gosto disso. Além disso, acho muito bonito os vários corais, especialmente os evangélicos, que existem pelo mundo. Suas apresentações costumam ser bonitas, prazerosas de se ouvir e, porque não dizer, abençoadas (quando são cantados hinos para Cristo). Feito este "adendo", continuarei com o meu ponto...

Antes de mais nada, o que é o louvor? Louvor é nada mais nada menos do que uma forma de se exaltar algo ou alguém, atribuindo-lhe mérito. No caso de um servo de Deus, o louvor é associado (ou deveria ser) a Deus como uma das várias formas de adoração. Sim, adorar e louvar são conceitos distintos: enquanto que louvor é um tipo de adoração, a adoração engloba todas as formas que temos para exaltar a grandeza e superioridade de algo (no caso, de Deus). O louvor é só uma delas...

O louvor é essencialmente associado ao canto, porém ele é muito mais do que isso. Se você escreve uma poesia para Deus, onde você o adora, isto pode ser considerado louvor. Se você faz uma apresentação teatral, reproduzindo, por exemplo, um dos fatos históricos da Bíblia, tendo o cuidado de exaltar a Deus, você (e, teoricamente, todos os atores da peça) está louvando a Deus. Ou seja, o louvor é muito mais amplo do que as pessoas pensam..

Agora, posso chegar aonde queria... As pessoas frequentemente associam a nossa eternidade a um grande coral adorando a Deus. Eu não discordo que passaremos a eternidade adorando a Deus, até porque nós já o fazemos hoje, de forma imperfeita, mas fazemos. Porém, há uma diferença grande entre adorar e louvar e, mesmo no termo louvar, encontramos múltiplas formas de se fazê-lo, sem que necessariamente precisemos cantar algo. Como passaremos a eternidade adorando a Deus, então louvor é apenas uma parte de nossa vida na eternidade. Com certeza tem muito mais coisas a serem realizadas. Porém, em todas nós estaremos adorando a Deus, visto que a Bíblia demonstra como a vida do servo de Deus também serve como adoração a Deus.

Outro ponto que me leva a discordar desta visão é que eu creio em um Deus infinito e todo poderoso. Eu não consigo imaginar Deus, depois de tanto tempo preparando o mundo.. não, o universo para os eventos dos fins dos tempos e a rendenção de seu povo, iria reduzir a vida eterna de seus servos a serem apenas... um grande coral! Como eu disse antes, não tenho nada contra corais, pelo contrário, os admiro, mas, convenhamos, o "currículo" de Deus é extremamente extenso para se reduzir seus planos a algo medíocre como isso. Além disso, um versículo da Bíblia deixa claro que os planos de Deus para a eternidade são MUITO mais extensos do que possamos imaginar:

1 Coríntios 2:9- Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, E não subiram ao coração do homem, São as que Deus preparou para os que o amam.

Deus está infinitos passos a nossa frente em todas as coisas. Ele sabe tudo e pode tudo. Sabendo disso, podemos imaginar que Deus nos reserva muito mais coisas do que possamos imaginar. O que seriam estas coisas? Não sei, mas um dia saberemos, quando Ele vier nos buscar. Para isso, devemos estar preparados, adorando a Deus de todas as formas que pudermos! :)

Um último ponto a destacar é que o Apocalipse relata que, após os eventos da Grande Tribulação, Deus criará novos céus e nova Terra. Se Deus criará uma nova Terra e, supostamente, iremos morar no "céu", porque ele iria nos deixar apenas cantando no céu para Ele??? Se ele irá recriar a Terra, eu tenho certeza de que Ele tem a intenção de que a Terra seja desfrutada. Por quem? Nós!

Bom, é isso. Espero que este texto possa ter abençoado sua vida e estou aberto a eventuais comentários, desde que sejam construtivos e/ou respeitosos.. :)

segunda-feira, 5 de abril de 2010

E aí, posso julgar você um pouquinho?

Uma das várias frases que eu escuto quando se envolve questões religiosas é frases do tipo:

"Não julgue seu irmão"
ou
"Você não pode me julgar, por que blablabla"
ou
"Jesus disse que não devemos julgar"
ou, também
"Tira primeiro sua trave pra depois pensar em tirar meu cisco"

Depois desta introdução, você deve estar se perguntando:

"O que este cara pretende com isso? Será que ele está tentando justificar os preconceitos dele??"
ou
"Não, não me fale, você está querendo viabilizar quaisquer críticas que estejam fazendo contra certos julgamentos seus"
ou, quem sabe
"Você está cansado de ser julgado e quer justificar suas condutas condenáveis"

Ou, sei lá, coisas semelhantes a estas. Ou não.

De qualquer forma, não, não é nada disso. O que quero dizer é que há um grande erro que as pessoas cometem ao entender a posição de Jesus e a posição de Paulo (inspirada por Deus) acerca deste assunto. As pessoas pegam Mateus 7:1

"Não julgueis, para que não sejais julgados" e rapidamente disparam contra quaisquer críticas que alguém jogue contra determinados comportamentos."

E disparam coisas do tipo:

--------------------
- O irmãozinho parece estar se excedendo em suas "animações no púlpito", não é?
- Irmão, não julgue ele. Você não sabe de suas intenções, Deus que sabe.
- Mas acho que ele poderia ser menos... err... alegre ali, né?
- Jesus não julga, porque você julgaria?
--------------------

--------------------
Pessoa A: Rapaz... E não é que eu vi Fulano comprando um bilhete de loteria ontem?
Pessoa B: Eita, Jesus! Tá desviando!
Pessoa C: Você não sabe, irmão.. Ele não vai perder a salvação dele só por 1 real...
Pessoa B: Ah, mas é errado!!! Eu não faria aquilo!
Pessoa C: Mas você não pode julgar.. Jesus disse em Mateus 7:1...
Pessoa B: ahh.. é.. tipo... mas ele tá errado!!!

Note que "Pessoa A" está calado o tempo todo, pois sua missão de "esclarecimento" (vide "fuxico") já foi cumprida...
--------------------

Enfim, coisas assim ou semelhantes a estas (adoro esta expressão!)... Só um adendo: não vou dizer se apostar em loteria é certo ou errado, nem comentar acerca de determinadas "animações" em um culto. Fica pra outro artigo.. :)

Você entendeu, né? A ilustração é simples: alguém comete algum ato duvidoso ou "fora do padrão" e rapidamente alguém se posiciona contra e/ou duvida do quão "crente" aquela pessoa é. E alguém rapidamente o defende, alegando que esta pessoa o está julgando e que Jesus proibiu isso.. Booooooooooom... Estas pessoas certamente não leram todo o texto!!

------------------------------------------------
Mateus 7:1

1- Não julgueis, para que não sejais julgados.
2- Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós.
3- E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho?
4- Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu?
5- Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.

6- Não deis aos cães as coisas santas, nem deiteis aos porcos as vossas pérolas, não aconteça que as pisem com os pés e, voltando-se, vos despedacem.
7- Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á.
8- Porque, aquele que pede, recebe; e, o que busca, encontra; e, ao que bate, abrir-se-lhe-á.
9- E qual de entre vós é o homem que, pedindo-lhe pão o seu filho, lhe dará uma pedra?
10- E, pedindo-lhe peixe, lhe dará uma serpente?
11- Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas coisas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará bens aos que lhe pedirem?
12- Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós, porque esta é a lei e os profetas.
13- Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela;
14- E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem.
15- Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores.
16- Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos?
17- Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus.
18- Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons.
19- Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo.
20- Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.
21- Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.

------------------------------------------------

Colei toda a sequência para manter o contexto, porém só a parte em negrito contribui para o entendimento do assunto de meu artigo. Veja por este lado, você já pode dizer que leu a Biblia hoje! :D

Agora, darei uma breve interpretação versículo a versiculo, então irei unir tudo, ok? :)

------------------------------------------------

1- Não julgueis, para que não sejais julgados.

Este todo mundo conhece. A ordem é clara "Não julgueis"... Porém, é igualmente oportuno notarmos que esta oração possui uma oração subordinada logo após ela, dando-lhe uma FINALIDADE! Ou seja:

Não julgueis, a fim de que não sejais julgados

Ou seja, se você não quer ser julgado, não julgue.

Mas vamos adiante!

------------------------------------------------

2- Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós.

Aqui, temos uma EXPLICAÇÃO diretamente relacionada à oração anterior... Antes, foi definida a finalidade, o motivo de Jesus ter nos instruído a não julgarmos. Agora, ele está explicando isso...

Juntando com o anterior, temos:

Se você não quer ser julgado, não julgue, pois serás julgado da mesma forma e com a mesma intensidade com a qual você julgou a outra pessoa.

------------------------------------------------

3- E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho?
4- Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu?
5- Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão.


Estes versiculos são interligados, então os analisarei conjuntamente...

Jesus diz, em outros termos... Você fica aí, dizendo que seu irmão é isso, fez aquilo, mas VOCÊ também fez várias outras coisas! E não se toca delas!!! Primeiro, conserte os seus atos errôneos, aí depois vá consertar os erros de seu irmão!!

Lucas 6:42 tem um versículo semelhante, MAS ele é mais explicativo:

42- Ou como podes dizer a teu irmão: Irmão, deixa-me tirar o argueiro que está no teu olho, não atentando tu mesmo na trave que está no teu olho? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então verás bem para tirar o argueiro que está no olho de teu irmão.

Que interessante! O fato de tirar a "trave" do seu olho não é uma questão do tipo: "corrija o outro somente se você está mais santo do que ele" ou coisa do tipo. O termo chave é "ver melhor". Você deve tirar aquilo que está impedindo que você enxergue bem, para que você consiga tirar o cisco (erro) do seu irmão.

Opa, MAS ele não tinha dito antes que não era pra julgar??? Porque, agora, ele fala em corrigir o irmão?? Calma, vamos juntar tudo o que temos até agora:

Se você não quer ser julgado, não julgue, pois serás julgado da mesma forma e com a mesma intensidade com a qual você julgou a outra pessoa.
Como podes julgar o seu irmão, se você tem incorreções em sua vida, que o impedem de enxergar bem o suficiente para ver as imperfeições de seu irmão? Primeiro, elimine-as, para que possas ter o DISCERNIMENTO necessário para que possas corrigir a seu irmão corretamente (tirar o cisco).


Vamos continuar nossa análise, então...

------------------------------------------------

12- Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós, porque esta é a lei e os profetas.

Esta frase é tão clara, que não precisa de explicação... Esta frase é conhecida como a Regra de Ouro do Confucionismo, e, sendo uma verdade, também foi dita por Jesus (ordem cronológica não importa aqui). Combina perfeitamente com a parte que eu disse antes, referente às consequências de um julgamento que você fizer..

Ou seja:

Se você não quer ser julgado, não julgue, pois serás julgado da mesma forma e com a mesma intensidade com a qual você julgou a outra pessoa, uma vez que devemos fazer aos outros somente aquilo que queremos que eles façam a nós.
Como podes julgar o seu irmão, se você tem incorreções em sua vida, que o impedem de enxergar bem o suficiente para ver as imperfeições de seu irmão? Primeiro, elimine-as, para que possas ter o DISCERNIMENTO necessário para que possas corrigir a seu irmão corretamente (tirar o cisco).


Continuemos!!

------------------------------------------------

15- Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores.
16- Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos?
17- Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus.
18- Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons.


Tudo isto se junta como um versículo só, então será analisado conjuntamente!
Jesus faz uma metáfora comparando as pessoas com árvores frutíferas, pois ambas gerariam frutos. No nosso caso, frutos são atitudes, conforme pode-se notar quando contextualizamos com Gálatas 5:22..

22- Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.

Ou seja, devemos esperar ISSO de uma árvore boa.. ops! de uma pessoa "boa" (boa = alguém que é uma ovelha, e não um lobo, conforme são chamados os falsos profetas, no versículo 15). O versículo 17 enfatiza que conhecemos uma árvore pelos seus frutos, assim como conhecemos as pessoas pelos seus frutos (atitudes e consequências das mesmas). Assim, temos:

Se você não quer ser julgado, não julgue, pois serás julgado da mesma forma e com a mesma intensidade com a qual você julgou a outra pessoa, uma vez que devemos fazer aos outros somente aquilo que queremos que eles façam a nós.
Como podes julgar o seu irmão, se você tem incorreções em sua vida, que o impedem de enxergar bem o suficiente para ver as imperfeições de seu irmão? Primeiro, elimine-as, para que possas ter o DISCERNIMENTO necessário para que possas corrigir a seu irmão corretamente (tirar o cisco).
Existem pessoas que se fingem de "cordeiros" (servos de Deus), mas, na verdade, são "lobos devoradores" (falsos crentes ou falsos profetas). Podemos discernir os mesmos vendo os seus frutos (atitudes e consequências das mesmas), pois frutos ruins implicam em uma pessoa "ruim", ao passo que frutos bons implicam em uma pessoa "boa".


(o motivo das aspas irei explicar depois)

------------------------------------------------

FINALMENTE, o último trecho:

19- Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo.
20- Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.
21- Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.


o versículo 19 mostra o destino de quem dá frutos ruins e o versículo 18 enfatiza o que foi dito no trecho anterior acerca de distinguir lobos de cordeiros.

O versículo 21 é o mais preocupante... Ele deixa claro que muitos que supostamente clamam a Deus na verdade não entrarão no reino dos céus. Somente entrarão no reino dos céus aqueles que fazem a vontade de Deus (rendem bons frutos).

Enfim, juntando tudo, temos esta "mistureba":

------------------------------------------------
Se você não quer ser julgado, não julgue, pois serás julgado da mesma forma e com a mesma intensidade com a qual você julgou a outra pessoa, uma vez que devemos fazer aos outros somente aquilo que queremos que eles façam a nós.
Como podes julgar o seu irmão, se você tem incorreções em sua vida, que o impedem de enxergar bem o suficiente para ver as imperfeições de seu irmão? Primeiro, elimine-as, para que possas ter o DISCERNIMENTO necessário para que possas corrigir a seu irmão corretamente (tirar o cisco).
Existem pessoas que se fingem de "cordeiros" (servos de Deus), mas, na verdade, são "lobos devoradores" (falsos crentes ou falsos profetas). Podemos discernir os mesmos vendo os seus frutos (atitudes e consequências das mesmas), pois frutos ruins implicam em uma pessoa "ruim", ao passo que frutos bons implicam em uma pessoa "boa".
As pessoas ruins serão cortadas (ou seja, serão separadas da árvore) e lançadas no fogo (ou seja, serão condenadas). As pessoas boas não sofrerão este destino.
E, não se iluda com as aparências, pois nem todos que clamam a Deus irão entrar no reino dos céus, porém APENAS aqueles que fazem a vontade de Deus..

------------------------------------------------

Êta mistureba.. Vamo arrumá esta bagaça! :D

Nosso texto misturado nos sugere que há dois tipos de julgamento que podem ser feitos:

------------------------------------------------

1) Julgarmos as atitudes (ou o estado da fé) de um irmão (alguém que é membro da nossa igreja ou é de outra denominação):

Quando isto ocorre, estamos nos referindo a pessoas que geralmente professam a nossa fé. Pode ser de nosso convívio ou não, mas geralmente é. Julgamos se a pessoa está pecando em determinadas atitudes da mesma ou em situações em que ele esteja passando:

a) A irmã está usando um decote meio "ousado".. Tá pecando!
b) Os filhos daquele pastor são desobedientes. Então, ele não é destinado a ser um pastor

e blablabla...

Enfim, isso tudo sempre termina em NÓS, os aparentemente "mais corretos", tentarmos dar uma lição de moral (ou fé???) para este pobres pecadores... O que minha confusa análise do que Jesus disse tem a nos dizer sobre isso??

I- Quer julgar eles? Julgue, mas esteja preparado para também ser julgado da mesma forma!
II- Quer ter discernimento para julgar aquela pessoa? Primeiro, corrija qualquer coisa errada em si mesmo que o esteja impedindo de julgar adequadamente o seu irmão!
III- Uma vez que esteja ciente das implicações e esteja apto para tal, corrija a seu irmão.

Ou seja, só podemos julgar o nosso irmão se estivermos dispostos a sermos julgados também. E dispostos a ajudá-los a corrigir-se, desde que nós façamos o mesmo com nós mesmos, pois assim poderemos guiar nosso irmão no caminho certo.

Este versículo explica isso..

Lucas 6:39- E dizia-lhes uma parábola: Pode porventura o cego guiar o cego? Não cairão ambos na cova?

Ou seja, se você está cego, como vai guiar seu irmão cego pelo caminho??

------------------------------------------------

2) Julgarmos se uma pessoa é serva de Deus ou não (lobo ou cordeiro??) ou se ela está ensinando verdades de Deus ou não.

Aqui, fica claro que devemos julgar. Porque? Porque está em jogo aqui a integridade de determinada palavra que se ouve de determinadas pessoas. Não é à toa que Jesus usa a expressão "falsos profetas", pois são pessoas que fingem ser servos de Deus, mas não o são, e induzem as pessoas a fazerem coisas que não são de Deus. Assim, como o servo de Deus pretende seguir a Cristo se atender a ensinos contrários aos ensinamentos Dele? Por isso, aqui é ensinado como devemos julgar e discernir se estas pessoas são de Deus ou estão ensinando as verdades Dele, pois, do contrário, não podemos ouvir estas palavras...

A chave aqui são os frutos. Se estivermos verificando se alguém é de Deus ou não, devemos olhar suas atitudes e as consequências delas na vida deste e dos que estão á sua volta. Não confunda isso com determinados pecados que esta pessoa cometer, pois todos nós pecamos. Por isso, devemos ser cuidadosos neste julgamento.

Porém, se estivermos verificando se algo que está sendo dito vem de Deus, devemos ver se está de acordo com a vontade de Deus! E onde conhecemos a vontade de Deus? Na Bíblia!

Ou seja, devemos julgar as vidas das pessoas e também o que dizem. Porém, com a consciência de que estaremos nos expondo a sermos julgados também.

Esta é a verdade. Pra finalizar, vamos organizar o texto que foi originado de tudo isso em algo mais resumido:

===================
Devemos julgar as pessoas somente se estivermos dispostos a sermos julgados da mesma maneira. Se pretendemos julgar quem quer que seja, precisamos ter discernimento do Espírito Santo para tal e, se não for o caso, devemos corrigir quaisquer coisas ("traves") que nos estejam impedindo de ter este discernimento ("ver claramente"). Além disso, nosso julgamento deve ter duas finalidades:

1) Exortar um irmão, para que ele seja edificado e deixe de agir contra a vontade de Deus;
2) Evitar que nós, ou outras pessoas, acreditem em mensagens contrárias ao que Deus ensina.

Nosso julgamento deve basear-se nos frutos das pessoas e no que diz a Bíblia. Não devemos julgar pelas aparências, pois muitos que parecem santos, não o são, sendo, na verdade, descrentes (falsos profetas ou lobos devoradores).

===================

Pronto, acabei. Então, posso te julgar agora? :D

P.S: quanto às aspas nas palavras "boa" e "ruim", fiz isto para destacar o fato de que ninguém é, de fato, bom. Só Jesus o é. "Bom" é apenas um filtro para descrever aquelas pessoas que fazem parte da Igreja que Cristo irá arrebatar e "ruim" é o resto das pessoas. Mas, na prática, todos nós somos "maus" ("ruins"), por sermos pecadores. Mas Deus é tão BOM (sim, Ele é bom sem aspas) que nos permite sermos justificados pelo sacrífico de Jesus na cruz do Calvário! Eita, melhor parar, que isso é assunto pra outro artigo.. fui! :D