Siga meu blog por e-mail!

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Ezequiel 18: onde Deus estampa seu livre arbítrio, amor e justiça inigualáveis!

O enfoque deste blog sempre será defender a Palavra de Deus de toda a e e qualquer heresia contra ela, pois as heresias prejudicam o Evangelho, desviando o cristão de seu foco em Cristo e gerando empecilhos na nossa vida cristã, além de causar prejuízos na vida de pessoas descrentes que passam a ter uma visão errada do Evangelho e reagem mal a ele. Assim sendo, o Calvinismo, doutrina que há séculos tem permeado a igreja, tem se revelado como uma heresia sem tamanho e eu tenho constatado cada vez mais que esta doutrina é INCOMPATÍVEL com a Bíblia e com o perfil de um verdadeiro cristão, além de afetar negativamente a imagem boa de Deus. Como tal, deve ser combatido.

Começando minha jornada contra esta doutrina perigosa, minha arma é sempre a mesma: interpretação da Bíblia com bom senso e inteligência. Estas são as armas que o Espírito Santo nos dá e devemos usar e abusar dela sempre que possível. Enfim, vamos ao artigo:

Um dos pontos fortes do Calvinismo é defender que Deus "elegeu" seus salvos desde a fundação do mundo e esta eleição é incondicional e imutável. Inclusive, eu diria que este é o ponto central do calvinismo. Sem ele, o calvinismo não é nada. Para mim, e vários outros, é evidente que a eleição existe, sim, na Bíblia, mas nunca se refere a eleição para a salvação, e, sim, eleição para outras finalidades. Como o calvinismo defende a eleição prévia e imutável de Deus, logo automaticamente o livre arbítrio do ser humano é anulado e o homem é incapaz de escolher seu próprio destino. Mas, felizmente, a Bíblia é contundente em afirmar a responsabilidade do homem em seu destino futuro e um dos textos mais fortes contra isso é o capítulo 18 de Ezequiel!

Por isso, farei uma análise trecho a trecho do capítulo, mostrando a vocês como o livre arbítrio de Deus se manifesta a cada versículo deste capitulo impressionante.

Qualquer coisa, para referência, esta versão do capítulo se encontra disponível na Bíblia Online neste link: https://www.bibliaonline.com.br/acf/ez/18

"E veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo:
Que pensais, vós, os que usais esta parábola sobre a terra de Israel, dizendo: Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos se embotaram?
Vivo eu, diz o Senhor DEUS, que nunca mais direis esta parábola em Israel.
Eis que todas as almas são minhas; como o é a alma do pai, assim também a alma do filho é minha: a alma que pecar, essa morrerá."


 Deus inicia citando uma parábola, um ditado que os israelitas utilizavam: "
Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos se embotaram". Ditado interessante que ilustra a doutrina de que os pais transferem os seus pecados para seus filhos. No caso do ditado, o pai suja os dentes ao comer as uvas, mas os filhos, que não comeram aquelas uvas, sofrem também a consequência em seus dentes. Bem estranho, né? Mas era nisso que eles acreditavam e o próprio Deus, utilizando seu profeta Ezequiel, vem para NEGAR esta doutrina enganosa!

Deus explica CLARAMENTE aqui que QUEM PECA, morre. Ou seja, a responsabilidade do pecado é PESSOAL, você não herda pecado, nem culpa, pelo que seu pai fez, vc é punido pelo que VOCÊ FAZ. Isto é indício de livre arbítrio e é evidência CONTRA a total depravação do homem (homens não herdam natureza depravada de Adão coisa nenhuma).. Mas isto fica para um outro artigo..

"Sendo, pois, o homem justo, e praticando juízo e justiça,
Não comendo sobre os montes, nem levantando os seus olhos para os ídolos da casa de Israel, nem contaminando a mulher do seu próximo, nem se chegando à mulher na sua separação,
Não oprimindo a ninguém, tornando ao devedor o seu penhor, não roubando, dando o seu pão ao faminto, e cobrindo ao nu com roupa,
Não dando o seu dinheiro à usura, e não recebendo demais, desviando a sua mão da injustiça, e fazendo verdadeiro juízo entre homem e homem;
Andando nos meus estatutos, e guardando os meus juízos, e procedendo segundo a verdade, o tal justo certamente viverá, diz o Senhor DEUS."


Em suma, se o homem FAZ estas coisas BOAS, ele viverá. Não há nada falando aqui que ele faz estas coisas porque foi eleito.

"E se ele gerar um filho ladrão, derramador de sangue, que fizer a seu irmão qualquer destas coisas;
E não cumprir todos aqueles deveres, mas antes comer sobre os montes, e contaminar a mulher de seu próximo,
Oprimir ao pobre e necessitado, praticar roubos, não tornar o penhor, e levantar os seus olhos para os ídolos, e cometer abominação,
E emprestar com usura, e receber demais, porventura viverá? Não viverá. Todas estas abominações ele fez, certamente morrerá; o seu sangue será sobre ele."


E o oposto do outro caso: o que faz as coisas RUINS morre em SEU pecado. Repare que em ambos os casos a responsabilidade é pessoal e cada um decidiu fazer o que fez.

"E eis que também, se ele gerar um filho que veja todos os pecados que seu pai fez e, vendo-os, não cometer coisas semelhantes,"

Agora vejam isso aqui! O pecador, citado anteriormente, gerou um filho, o filho OLHOU pro pecado do pai e decidiu não cometer baseado na experiência de seu pai. Quer evidência de livre arbítrio maior do que esta? Mas ainda tem mais!

"Não comer sobre os montes, e não levantar os seus olhos para os ídolos da casa de Israel, e não contaminar a mulher de seu próximo,
E não oprimir a ninguém, e não retiver o penhor, e não roubar, der o seu pão ao faminto, e cobrir ao nu com roupa,
Desviar do pobre a sua mão, não receber usura e juros, cumprir os meus juízos, e andar nos meus estatutos, o tal não morrerá pela iniqüidade de seu pai; certamente viverá."


Repetição do destino de quem resolveu fazer o bem.

"Seu pai, porque praticou a extorsão, roubou os bens do irmão, e fez o que não era bom no meio de seu povo, eis que ele morrerá pela sua iniqüidade."

Ele morrerá pela SUA INIQUIDADE. Pela sua escolha de pecado..

"Mas dizeis: Por que não levará o filho a iniqüidade do pai? Porque o filho procedeu com retidão e justiça, e guardou todos os meus estatutos, e os praticou, por isso certamente viverá."

E o filho não leva a culpa do pai. Conforme já foi defendido acima.

"A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniqüidade do pai, nem o pai levará a iniqüidade do filho. A justiça do justo ficará sobre ele e a impiedade do ímpio cairá sobre ele."

E aqui a constatação simples: cada um paga pelos seus atos, sejam bons ou ruins. Não há NADA aqui deixando a entender que estas pessoas são eleitas ou não. Do contrário, Deus estaria brincando com eles e mentindo, já que o "deus calvinista" determina quem é salvo ou não (através da eleição incondicional, citada no inicio do artigo), então seria inútil Deus dizer tudo isso, não?

"Mas se o ímpio se converter de todos os pecados que cometeu, e guardar todos os meus estatutos, e proceder com retidão e justiça, certamente viverá; não morrerá."
 

Olhem só que interessante: o ímpio, que era descrito antes como CONDENADO e digno de morte, decidiu se converter. O que Deus diz? Ele VIVERÁ (Nínive e Jonas te lembram alguma coisa? Posso escrever sobre isso no futuro também, quem sabe)

"De todas as transgressões que cometeu não haverá lembrança contra ele; pela justiça que praticou viverá.
Desejaria eu, de qualquer maneira, a morte do ímpio? diz o Senhor DEUS; Não desejo antes que se converta dos seus caminhos, e viva?"


E aqui a misericórdia e o amor do Deus VERDADEIRO se manifesta. E nada de eleição aqui, inclusive qualquer sintoma de eleição desqualificaria Deus como alguém que "não deseja a morte do ímpio, mas deseja que ele se CONVERTA e VIVA"

"Mas, desviando-se o justo da sua justiça, e cometendo a iniqüidade, fazendo conforme todas as abominações que faz o ímpio, porventura viverá? De todas as justiças que tiver feito não se fará memória; na sua transgressão com que transgrediu, e no seu pecado com que pecou, neles morrerá."
 

E agora?? O justo, que iria VIVER, decidiu fazer o mau. O destino dele? A morte. Ele era JUSTO, então, ele seria um "eleito", conforme o calvinismo. Mas Deus está deixando claro que ele ERA e não é mais e que suas justiças de antes são anuladas pelo seu PECADO e ele cai da posição de justo para INJUSTO!

"Dizeis, porém: O caminho do Senhor não é direito. Ouvi agora, ó casa de Israel: Porventura não é o meu caminho direito? Não são os vossos caminhos tortuosos?"

DE NOVO, Deus enfatiza que o erro está NO HOMEM, o homem que decide ir por caminhos tortuosos!

"Desviando-se o justo da sua justiça, e cometendo iniqüidade, morrerá por ela; na iniqüidade, que cometeu, morrerá.
Mas, convertendo-se o ímpio da impiedade que cometeu, e procedendo com retidão e justiça, conservará este a sua alma em vida."


Aqui o livre arbítrio na sua forma mais pura: o justo pode optar por se desviar e o injusto pode optar por tentar ser justo. E, obviamente, o inverso se aplica.

"Pois que reconsidera, e se converte de todas as suas transgressões que cometeu; certamente viverá, não morrerá."

"Pois que RECONSIDERA".. O pecador viu suas falhas, RECONSIDEROU e mudou sua atitude. E Deus o congratula por isso! Este, sim, é o Deus VERDADEIRO da Bíblia;

"Contudo, diz a casa de Israel: O caminho do Senhor não é direito. Porventura não são direitos os meus caminhos, ó casa de Israel? E não são tortuosos os vossos caminhos?
Portanto, eu vos julgarei, cada um conforme os seus caminhos, ó casa de Israel, diz o Senhor DEUS. Tornai-vos, e convertei-vos de todas as vossas transgressões, e a iniqüidade não vos servirá de tropeço.
Lançai de vós todas as vossas transgressões com que transgredistes, e fazei-vos um coração novo e um espírito novo; pois, por que razão morreríeis, ó casa de Israel?"


E Deus EXORTA o povo a MUDAR seus caminhos.. Porque Deus faria isso se eles fossem meros eleitos? É justo você afirmar que um ser humano exorte um não-eleito a ser justo, porque não tem como vc discernir se o evangelizado é eleito ou não, mas o próprio Deus que SUPOSTAMENTE elegeu todos??? Porque Deus iria exortar pessoas a se converterem se elas não fossem capazes de fazerem isso após serem exortadas por Deus? Isso é livre arbítrio de forma gritante e um tapa na cara da eleição incondicional e imutável. Quer prova maior do que isso? Calma, aí vem o "grand finale"

"Porque não tenho prazer na morte do que morre, diz o Senhor DEUS; convertei-vos, pois, e vivei."
Ezequiel 18:1-32

E Deus repete sua frase de plena misericórdia, PROVANDO que não é ELE que determina a realização de maldades do ímpio, e, sim, o próprio ímpio!


O que concluímos com isso? Que Deus deseja que TODO ser humano se converta e viva, que Deus constantemente exorta as pessoas a mudarem sua conduta e se converterem de seus maus caminhos e que Deus pune com justiça a todos aqueles que optem, pelo seu livre arbítrio, a serem justos ou injustos. Quando olhamos pra Jesus, esta doutrina se completa, pois Jesus já sofreu a condenação por nós por todos os nossos pecados, então basta que nos arrependamos de nossos pecados e nos voltemos para Cristo e este ato de justiça irá nos salvar enquanto nos mantivermos firmes na justiça de Cristo. Eu poderei discorrer sobre isso de forma mais detalhada em outro artigo, mas que fique, por ora, a lição de que Deus nos deu livre arbítrio porque Deus nos AMA e Deus é JUSTO em nos recompensar de acordo com o que fizermos ou tentarmos fazer, e que Deus não escolhe alguém baseado em mera eleição incondicional para depois recompensar o que Ele escolheu para ser bom (não teve mérito algum em ser bom) e punir o que Ele escolheu para ser mau (não teve culpa alguma voluntária de ser mau). Fiquem com Deus e espero que este artigo abra seus olhos para a verdade do Evangelho! :)