Siga meu blog por e-mail!

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Quando a luz do mundo não ilumina

Todo cristão costuma conhecer a expressão "luz do mundo". Afinal, é um dos títulos que Jesus dá a seus discípulos, conforme a conhecida referência abaixo:

"Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus." Mateus 5:14-16

Tudo muito bonito, né? Deus reflete a luz Dele em nós e, através desta luz brilhando em nós, as pessoas veem nossas obras e glorificam a Deus.

Mas... Em Lucas, algo sobre isso é acrescentado de forma estranha..

"E ninguém, acendendo uma candeia, a põe em oculto, nem debaixo do alqueire, mas no velador, para que os que entram vejam a luz. A candeia do corpo é o olho. Sendo, pois, o teu olho simples, também todo o teu corpo será luminoso; mas, se for mau, também o teu corpo será tenebroso. Vê, pois, que a luz que em ti há não sejam trevas. Se, pois, todo o teu corpo é luminoso, não tendo em trevas parte alguma, todo será luminoso, como quando a candeia te ilumina com o seu resplendor." Lucas 11:33-36

O texto enfatiza o fato do olho ser a candeia do corpo. Ou seja, o olho seria o ponto de partida de onde se ilumina todo o resto do corpo. Eu admito que não entendi esta parte e quem tiver uma boa palavra sobre isso, estou aberto para ouvi-la. Entretanto, não é sobre isso que quero falar. A parte "estranha" que eu quero demonstrar é esta:

"Vê, pois, que a luz que em ti há não sejam trevas." Lucas 11:35

"Opa, opa, opa... Luz ser.. trevas? Como pode ser possível isso??" - era o que eu me questionava ao ouvir uma pregação acerca disso. Contextualizando com a referência de Mateus, citada no início deste artigo, temos uma situação paradoxal: temos uma "luz do mundo" que não ilumina. E aí me veio uma inspiração que se alinha a uma palavra que eu já tinha recebido há algum tempo, mas não havia desenvolvido ainda.

Sim, nem toda luz ilumina. Quer uma prova? Pegue uma lanterna quando estiver em um local escuro com alguém. Primeiro, use-a para iluminar o caminho por onde vocês irão andar. Agora sim, vocês não correm o risco de tropeçar em objetos ou pisar em algo não desejável. Seus caminhos estão iluminados e todos estão satisfeitos: tanto o que ilumina como o iluminado.

Agora, experimente, ao invés disso, jogar a luz da lanterna na cara da pessoa, mais especificamente diretamente em seus olhos... Sentiu o clima? Espero que não, porque ninguém gosta de luz diretamente em seus olhos e há um ótimo motivo para isso: isto, além de ser extremamente incômodo, pode, inclusive, causar cegueira, dependendo da intensidade da luz. Inclusive, é por isso que as pessoas quando observam o sol por telescópios, nunca podem olhar diretamente para ele, pois a luz é tão forte que pode imediatamente cegar a pessoa. Apenas para título de esclarecimento, este link explica isso direitinho:

http://gizmodo.uol.com.br/o-que-acontece-quando-voce-olha-diretamente-para-o-sol/

Ou seja, a luz estava lá, estava iluminando, mas, dependendo para onde ela foi apontada, ela causou um efeito positivo ou negativo. Isto nos leva de volta ao texto de Mateus. Jesus diz que a candeia deve ser colocada no velador, o qual se refere a uma estrutura usada na antiguidade para colocar candeias, conforme definição encontrada neste site: "http://pastortales.blogspot.com.br/2013/09/a-candeia-o-velador-e-o-crente.html"

" Velador é um suporte vertical de madeira, que assenta em uma base ou pé e termina, no alto, por um disco onde se põe um candeeiro ou uma vela. As casas construídas naquela época dispunham de um local mais elevado, chamado velador. Onde as lâmpadas de luz podiam iluminar o maior espaço possível e pessoas inteligentes colocavam as lâmpadas neste local."

Ou seja, como se fosse um poste. E é o local onde Jesus (e o senso comum, consequentemente) diz aonde a luz deve ser colocada. Porque? Porque é o melhor posicionamento, permitindo que a luz se espalhe pelo local e ilumine a todos sem incomodar ninguém. Agora, quando colocamos nos olhos de alguém, além da luz não iluminar o caminho daquela pessoa, a luz o irá incomodar e até cegar, e esta pessoa irá se irritar (com razão, convenhamos) e ficará com raiva da fonte de luz. Não é isto que queremos, não é mesmo?

Então, o que quero dizer com isso? Contextualizando tudo o que foi dito até agora, percebemos que ninguém precisa "ajudar" a luz a cumprir seu trabalho de iluminar. Apenas deixe ela em um canto exposto e alto e ela cuida de todo o resto. É assim com a luz de Deus em nossas vidas. A luz de Deus nada mais é do que você se tornar espelho de Deus e de Suas ações. É você agir como Deus quer que você aja: com respeito, amor ao próximo, honestidade, bom caráter, enfim, uma pessoa íntegra. É esta boa luz que Deus quer refletir de você e é esta boa luz que irá fazer com que as pessoas à sua volta vejam o seu bom caráter e vejam como você é diferente. Isto fará elas refletirem sobre si mesmas e muitas irão glorificar a Deus no processo, até mesmo passando a confessar o nome Dele através da luz que emanou de você. Isto porque a luz não só evidencia seus atos bons, vindos de Deus, como ilumina os arredores das outras pessoas, mostrando o lado sujo e ruim delas que, até então, elas não conseguiam ver, pois estão em trevas. Este é nosso papel e esta é a verdadeira luz.

Então, que comportamentos se qualificam como sendo o oposto disso? Ou seja, a luz sendo refletida diretamente sobre os olhos das pessoas? Lembre-se que a luz não precisa de ajuda para iluminar, ela faz isso muito bem por si só, então não precisa de uma "força". Quando as pessoas colocam a luz diretamente nos olhos, ou elas estão sendo irritantes ou tentando fazer as pessoas notarem a sua luz da pior forma possível ("ah, assim eles, com certeza, verão MINHA luz). E isso tem um efeito desastroso e ninguém, em sua sã consciência, faria isso, certo? Certo? ERRADO!

Um clássico exemplo de pessoas fazendo exatamente isso é quando alguém faz questão de mostrar que é "crente" em todos os locais. No trabalho, faz questão de citar "Jesus" em toda frase. Canta louvores a Deus sem se importar com os outros à sua volta. Durante o culto, age de formas "diferenciadas" com o argumento de que está sob o "poder do Espírito de Deus" e ai de quem julgar esta pessoa! O que importa é sua consciência com Deus, pouco importa o que os outros pensam e quem se incomoda deveria cuidar da sua vida (pensando de forma egoísta, considerando que Deus falou através de Paulo ao atribuir o culto como tendo a principal finalidade de EDIFICAÇÃO da igreja). Fora outros exemplos dos quais não me recordo agora.

Como expliquei antes, a luz não precisa de ajuda: ela ilumina, quer você queira, ou não. Se você é luz e colocou ela no velador, não há como você esconder esta luz. Ou seja, vc não precisa mostrar a sua luz: ela se mostra sozinha. Qualquer tentativa de "mostrar" esta luz fará com que, no mínimo, o objetivo não seja atendido e que as pessoas, ao invés de glorificarem a Deus, o blasfemem e fiquem pensando que todo crente é "crente chato" e, assim, se distanciem do Evangelho. O próprio Jesus, FILHO DE DEUS, em várias passagens dos evangelhos, evitava falar de si mesmo como O Filho de Deus, pois Ele queria que as pessoa vissem isso através de Seus atos bondosos na Terra, ou seja, através de sua luz. Com isso, aprendemos que a luz que devemos ser deve ser uma luz que mostre aos outros as falhas deles sem que nós mesmos precisemos apontá-las e que nossa condição cristã deve ser algo que as pessoas possam ver mais nos nossos atos do que em nossas palavras. Que sejamos pessoas capazes de mostrar esta luz que ilumina, e não a luz que cega, incomoda e faz as pessoas blasfemarem de Deus, ao invés de louvá-lo. Amém! :)